Casa Cabul - Espetáculo convidado parceria SESC SP

27 de julho, Quarta-feira às 20h
 Texto inédito no Brasil do premiado autor americano Tony Kushner. “Casa /Cabul” ganha direção de Zé Henrique de Paula e tem Chris Couto como protagonista, no papel de uma dona de casa inglesa fascinada pelo Afeganistão. A protagonista expõe detalhes de sua vida e seu fascínio pela beleza do exótico Afeganistão, ao ler um guia de viagem antigo. Nessa jornada por montanhas, desertos e cidades esquecidas, ela arrasta atrás de si seu marido e sua filha, provocando o nosso encontro com a delicadeza e coragem da alma afegã. No palco, Chris vive a personagem principal (Dona de Casa), acompanhada por Sergio Mastropasqua (Milton Ceiling), Kelly Klein (Priscilla Ceiling), Herbert Bianchi (Quango Twistleton), Amazyles de Almeida (Mahala), Eric Lenate (Khwaja), Alexandre Meirelles (Mulá Durrani), Thiago Ledier (Zai Garshi), Beto Amorim (Dr. Qari Shah) e Thiago Vieira (Munkrat).

A primeira montagem da peça foi lançada em dezembro de 2001, época em acontecimentos como o ataque às Torres Gêmeas, a posição do Talibã e a invasão norte-americana no Afeganistão assombravam o mundo. Porém, Tony Kushner, ganhador do Prêmio Pulitzer por "Angels in America", trabalhava no texto havia quatro anos. "Casa / Cabul" foi concluída antes dos ataques.

No Brasil, o espetáculo será encenado pelo Núcleo Experimental, com tradução, adaptação e direção de Zé Henrique de Paula. “A linguagem de Kushner é peculiar - refinada, inteligente, divertida, sofisticada. Manter o estilo do autor é uma preocupação à qual me atento com afinco quando traduzo. Levei seis meses para traduzir “Casa/Cabul”, porque cada palavra, cada frase , foi absolutamente pensada, no sentido de preservar a essência de Kushner. Além disso, tive que me dedicar à pesquisa, uma vez que a história do Afeganistão permeia todo o texto da peça. Quase não houve adaptação no que diz respeito à dramaturgia. É um crime adaptar um autor como Kushner”, diz o diretor. A direção musical é de Fernanda Maia, cenário e figurino do próprio diretor e preparação de atores de Inês Aranha.

Direção: José Henrique de Paula. 
Gênero: Teatro Adulto. 
Duração: 150 minutos.
Indicação: 14 anos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário